Câmara de Cabrobó
Inicio HINO

HINO

Letra por Eduardo Feijó de Araújo Paiva  Em caravelas de terras distantes,Bravos homens em naus a singrarNovo mundo, Brasil, Rio São FranciscoEm paragens tropicais ancorar Sesmarias, sertões tão distantesCom bandeiras rio acima adentrarPelo sonho de em terras alheiasEntre serras e...

Letra por Eduardo Feijó de Araújo Paiva 

Em caravelas de terras distantes,
Bravos homens em naus a singrar
Novo mundo, Brasil, Rio São Francisco
Em paragens tropicais ancorar


Sesmarias, sertões tão distantes
Com bandeiras rio acima adentrar
Pelo sonho de em terras alheias
Entre serras e ilhas edificar

CABROBÓ, CABROBÓ ouço ainda a nação KARIRI
CABROBÓ, CABROBÓ, com tambores rufando alertar
Para chegada de nobres e vaqueiros
A existência da tribo TRUKÁ


Bravos homens vindo além do mar
Construir essa nova nação
Missionários e índios guerreiros
Se fundindo em um mesmo brasão

Sangue Negro trouxe a força bruta
De quilombos para miscigenar
O orgulho do povo da terra
O teu nome eu hei de eternizar

CABROBÓ, CABROBÓ ouço ainda a nação KARIRI
CABROBÓ, CABROBÓ, com tambores seguindo em procissão
Festejando em tom ecumênico
É beleza do grande sertão


Quando as águas do Rio São Francisco
Tuas terras ousaram inundar
Veio a fibra e a bravura dos homens
Para de novo dos escombros levantar

Na cebola força da agricultura
Na história tu tens para lembrar
Cassiano, Solônio, Dias Ávila
Gonçalo Coelho e o Coronel Trapiá

CABROBÓ, CABROBÓ ouço ainda a nação KARIRI
CABROBÓ, CABROBÓ, quando vejo a matriz imponente
Ganho a força e choro contente
À memória de Brígida Alencar 

Redimensionar Texto
Contraste